sexta-feira, 4 de junho de 2021

No deserto tem maná

 O maná era especialmente nutritivo, pois sustentava um adulto durante um dia de marcha pelo deserto. Ao que parece, os membros de cada família juntavam seus suprimentos diariamente e nunca havia escassez de alimento. Uma vez que os israelitas marchavam e acampavam divididos em tribos (Nm 1 - 2), sem dúvida cada clã ou família ajuntava todo o maná que haviam recolhido e providenciava para que todos fossem devidamente alimentados.

Era importante que os israelitas se levantassem cedo para recolher o maná, pois o sol quente do deserto o derretia (Êx16:21). No acampamento de Israel, não havia lugar para o preguiçoso que ficava na cama, enquanto os outros recolhiam seu alimento. 

Encontramos nisso uma lição para os cristãos de hoje: devemos começar o dia com o Senhor, recolhendo alimento espiritual da Palavra, pois se nos demorarmos para nos encontrar com Deus, o dia ficará ocupado demais, repleto de distrações, e acabaremos sofrendo de desnutrição espiritual. 


Os israelitas preguiçosos talvez quisessem guardar o maná para que pudessem dormir na manhã seguinte, mas Moisés advertiu-os para não fazê-lo. Alguns tentaram guardar o alimento, de qualquer forma, e ele azedou, cheirou mal e deu bichos, e tiveram de jogar tudo fora. Essas pessoas não apenas desobedeceram às instruções divinas, como também estavam vivendo de modo contrário às práticas de Deus, pois o Senhor providenciava para que o sol derretesse o maná que havia ficado no solo. Não vale a pena rebelar-se contra aquilo que Deus diz em sua Palavra e contra o exemplo que ele dá em sua criação.

Não apenas a dádiva do maná era uma 

ocorrência extraordinária seis dias por semana como também sua conservação. Deus alimentou seu povo, pois se importava com eles. Deus deu a lei a Israel porque amava seu povo. Os israelitas precisavam de uma luz para guiá-los, e a lei de Deus é como uma lâmpada e um mapa, e obedecer à lei é o caminho da vida (Pv 6:23). Deus cuida de seu povo!


Nenhum comentário: